Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Discurso do Ministro Carlos França por ocasião das exéquias do Embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima ­– Brasília, 13/07/2021[*]

Preliminarmente, queria agradecer ao Secretário-Geral das Relações Exteriores, Embaixador Fernando Simas Magalhães, ao Secretário de Gestão Administrativa, Embaixador Pedro Gustavo Ventura Wollny, e ao Chefe de Cerimonial do Estado, Ministro Alan Séllos, que permitiram que nós pudéssemos realizar as primeiras honras fúnebres que este palácio recebe. Creio que isto dá a medida justa da importância do Embaixador Paulo Tarso para esta casa e para o Brasil.

Senhoras e senhores,

Reunimo-nos no Itamaraty, hoje, familiares do embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima e servidores do Ministério das Relações Exteriores para, juntos, velar aquele que é exemplo para muitas gerações de diplomatas.

Nossos sentimentos estão com os familiares e amigos neste momento de luto.

Ao recordar o Embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima, trazemos à lembrança a história recente do Itamaraty e da própria República.

A destreza profissional pela qual é reconhecido foi forjada, logo cedo, quando o jovem diplomata foi chamado a assessorar o Presidente Juscelino Kubitschek. Com o então chefe, nosso Embaixador aprendeu a criar, valorizar e difundir o que há de melhor no Brasil.

Após adquirir experiência no serviço ao Brasil no exterior e sempre imbuído desse espírito, o Embaixador Paulo Tarso recebeu a missão de criar e organizar, no Itamaraty, o Departamento de Promoção Comercial, marco na promoção do produto do trabalho e do empreendedorismo nacional, da indústria à agropecuária.

Nesse exercício, ele contou com o inseparável amor e com a inseparável ajuda da Embaixatriz Lucia Flecha de Lima.

A institucionalização da área de promoção comercial conduzida por ele conferiu protagonismo e pioneirismo ao Ministério das Relações Exteriores no campo do comércio exterior.

Senhoras e senhores,

Entre 1985 e 1989, o Embaixador Paulo Tarso ocupou o cargo mais elevado a que um diplomata brasileiro pode almejar, que é o de Secretário-Geral das Relações Exteriores.

Como chefe desta Casa, atualizou a gestão do Itamaraty, contribuindo para a estruturação de uma chancelaria que se adequasse às demandas de seu país e ao cenário mundial.

Na memorável trajetória do Embaixador Paulo Tarso não nos esqueçamos que, no contexto da Guerra do Golfo em 1990, ele – acompanhado da saudosa Embaixatriz Lucia Flecha de Lima – aceitou missão das mais espinhosas, de assistência consular extremamente sensível.

Por meio de negociações delicadas com as mais altas autoridades iraquianas, conseguiu trazer de volta mais de quatrocentos trabalhadores brasileiros retidos naquele conflito. Graças a sua atuação incansável e zelosa, os brasileiros foram o primeiro contingente de estrangeiros liberados, que puderam então retornar a sua pátria – à nossa pátria.

À frente de postos como Londres e Washington, o Embaixador Paulo Tarso construiu relações que forjaram a reaproximação do Brasil aos grandes centros de poder mundial, garantindo ao país presença e voz decisivas na mesa de negociação de diferentes temas que, desde a virada do século, continuam a pautar as relações internacionais.

O Embaixador Paulo Tarso foi também profundo conhecedor das expressões culturais e do meio artístico, tendo ocupado cadeira na Academia Mineira de Letras. Por meio de sua relação com artistas, o Embaixador impulsionou a divulgação da cultura brasileira no mundo. Seu cuidado com o patrimônio histórico e cultural foi fundamental para o grande esforço de restauração do Palácio Pamphilj, sede de nossa embaixada em Roma, prédio que pertence a todos os brasileiros.

Ao nos despedirmos do Embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima, rogo a Cristo para que seu exemplo siga a nos orientar – seja na gestão inspiradora, seja na inovadora atuação no comércio exterior, ou no zelo incansável com a assistência consular a brasileiros no exterior ou, também, na maestria da representação em postos no exterior – que possamos honrar a incumbência de representar esta República e seus cidadãos.

Senhoras e senhores,

Caros amigos do Itamaraty,

Quem teve a honra de conhecer o Embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima e de testemunhar seu desempenho na defesa dos interesses mais altos do Brasil sabe que nem a fragilidade física que a doença lhe impingiu foi capaz de tirar desse diplomata a firmeza de sua ação.

Neste momento de pesar, a partida do Embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima faz ressoar em cada um de nós o compromisso primeiro: a defesa do Brasil. Em qualquer circunstância, sua firmeza na busca do interesse nacional será inspiração para as gerações que o sucederem.

Registro, em nome de todos os servidores do Itamaraty, os meus sentimentos a toda a família e meu profundo reconhecimento ao Embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima por seu legado.

Muito obrigado.

registrado em:
Fim do conteúdo da página