Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

icone impressorasVersão para impressão

 

Palavras do Ministro das Relações Exteriores, Embaixador Carlos França, na Reunião dos Ministros das Relações Exteriores/Relações Internacionais do BRICS (01/06/2021)[*]

Senhor Presidente, Ministro Subrahmanyam Jaishankar,

Caros colegas,

Gostaria de começar agradecendo à Índia por organizar esta reunião, que se tornou um marco tradicional e significativo do calendário anual de eventos internacionais.

É uma satisfação estar aqui, em minha primeira reunião do BRICS como Ministro das Relações Exteriores do Brasil. Ao longo da minha carreira, presenciei a criação deste grupo em 2006 e a sua crescente importância, com resultados concretos sendo entregues às nossas sociedades. Durante a pandemia de COVID-19, o BRICS demonstrou resiliência, mantendo suas atividades ao longo de 2020 e 2021, com espírito de cooperação efetiva e fraterna entre amigos.

O BRICS é um elemento central da política externa brasileira, tradicionalmente voltada para a promoção da paz e do desenvolvimento universais. Como economias emergentes, o Brasil e nossos parceiros do BRICS compartilham esses objetivos, ao mesmo tempo em que trabalham por metas comuns de tornar a ordem internacional verdadeiramente multilateral e representativa das aspirações de todos.

O Brasil acredita que a Declaração Conjunta sobre o Fortalecimento e a Reforma do Sistema Multilateral, a ser adotada hoje adicionalmente ao nosso tradicional Comunicado à Imprensa, prova que o BRICS continua sendo capaz de falar com uma só voz sobre os principais temas da agenda internacional. Devemos, de fato, nos engajar em negociações sérias para reformar a governança global e aumentar a representação dos países em desenvolvimento.

À Índia, gostaria de expressar nossa gratidão pela parceria que permitiu o recente lançamento do primeiro satélite 100% nacional do Brasil, o Amazônia-1. Nossa cooperação em CTI está revelando um grande potencial para ganhos mútuos. Também estamos esperançosos com relação à cooperação na produção de vacinas, que é o cerne da nossa parceria com o Instituto Serum.

Devo mencionar também nossa parceria com a China, que se revelou crucial na atual pandemia. Reforçamos nossa cooperação em vacinas, com base na aquisição de novas doses e insumos, elevando nosso comércio bilateral a níveis inusitados. Na próxima reunião da COSBAN, espero que possamos aprofundar ainda mais nosso amplo espectro de cooperação.

Também promovemos nossas relações com a Rússia ao mais alto nível, principalmente nas áreas de ciência e tecnologia e saúde pública. Esperamos que haja progresso em nossa cooperação para adquirir e produzir as vacinas Sputnik. Continuaremos apoiando o trabalho da agência reguladora brasileira nesse assunto.

Em resposta ao gentil convite do Ministro Lavrov, pretendo visitar a Federação da Rússia em breve, ainda este ano.

A África do Sul é nosso parceiro no BRICS com quem o Brasil compartilha raízes africanas comuns, desafios semelhantes e aspirações comparáveis, como a de ter maior destaque em foros internacionais. Nossa parceria ainda está aberta para melhorias adicionais, tanto no relacionamento bilateral quanto entre a África e a América do Sul. Com esse espírito, espero intensificar os contatos com a Ministra Pandor com a maior brevidade possível.

Com estas breves palavras, termino minhas considerações iniciais.

Muito obrigado!

registrado em:
Fim do conteúdo da página