Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Luiz Martins de souza dantas

dantas

 

Nome completo: Luiz Martins de Souza Dantas

Nascimento: 17/02/1876

Local de Nascimento: Rio de Janeiro

Falecimento: 16/04/1954

Local de Falecimento: Paris - França

 

Carreira:

  • Início – Fim 

1897-1941

  • Formação

Bacharelou-se em Ciências e Letras no Colégio Pedro II

Graduação em Direito pela Faculdade Livre de ciências Jurídicas e Sociais do Rio de Janeiro (1896)

  • Cargos ocupados;

Adido da legação brasileira em Berna- Suíça (1897)

Promovido à Segundo-secretário e enviado a São Petersburgo – Rússia (1900)

Segundo-secretário em Roma – Itália (1902-1908)

Promovido à Primeiro-secretário exercendo a função de encarregado de negócios em Buenos-Aires – Argentina (1908)

Elevado a Ministro-residente por merecimento (junho-1912)

Exerce o cargo de Subsecretário de Estado no Rio de Janeiro (maio-1916)

Assume a Chefia interina do Ministério das Relações Exteriores (junho-1916)

Promovido a Embaixador em Bruxelas – Bélgica, exercendo a função em Roma (junho-1919)

Assume a chefia da embaixada brasileira de Paris – França (dezembro-1922)

Tornou-se Decano do Corpo Diplomático (1931)

Criação da Maison de l'Amerique Latine, em Paris - França (1945)

Presidiu o Instituto Francês de Altos Estudos Brasileiros (1945)

 Chefe da Delegação do Brasil (delegado plenipotenciário) à Conferência de Paz, em paris - França (dezembro-1945)

  • Missões

Inauguração da Câmara de Comércio Ítalo-Brasileira (1920)

Representante do Brasil na Conferência de Imigração e no Conselho Executivo da Liga das Nações (outubro-1923)

Representante do Brasil na Liga das Nações (1924 e 1926)

 

Ações de destaque: Luiz Martins de Souza Dantas:

“Fiz o que teria feito, com a nobreza d’alma dos brasileiros, movido pelos mais elementares sentimentos de piedade cristã”

Fabio Koifman, “Quixote nas Trevas: O embaixador Souza Dantas e os refugiados do nazismo”, Editora Record, 2002(p.28 e 30):

“Certamente os valores de uma época não podem ser usados para compreender uma situação de outro tempo, o que justamente confere valor especial a Souza Dantas e a outros diplomatas que contrariaram as leis de sua época em prol de princípios humanitários.”

“Por uma questão de princípios, não deixou de ajudar os refugiados, mesmo que isso comprometesse sua posição e seu prestígio junto ao governo.”

Revista Morasha, Edição 49 - Junho de 2005

"Fabio Koifman nos dá, com seu livro, um presente inestimável: o retrato de um homem nobre e valente, destemido e honrado. Souza Dantas foi um "Justo", que muitos quiseram calar."

"O livro "Quixote nas trevas" entrega uma medalha póstuma a um homem que desafiou nazistas na Europa e políticos no Brasil, pondo em risco sua carreira e sua vida. Ele merece brilhar na Galeria Universal dos Heróis do Século XX."

 

Bibliografia: Les nations américaines et M. Gabriel Hanotaux”, publicado em Paris

 

Referência bibliográficas: 

Milgram, Avraham “The Jews of Europe from the Perspective of the Brazilian Foreign Service”, 1995

Koifman, Fabio “Quixote nas Trevas: O embaixador Souza Dantas e os refugiados do nazismo”, Editora Record, 2002

 

Bibliografia: http://www.fgv.br/CPDOC/BUSCA/Busca/BuscaConsultar.aspx

 

Links externos: http://www.rivkah.com.br/tradicoes/dantas/dantas.htm

 

Fim do conteúdo da página