Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

ALEMANHA

CRONOLOGIA POR PAÍSES

BRASIL - ALEMANHA

 

DATA: Ano de 1816

ASSUNTO:Representante do Reino Unido de Portugal e do Brasil e Algarves

EVENTOS: D. Joaquim Lobo da Silveira, da Casa dos Condes Barões da Alvito, (Conde de Oriola, conselheiro) é nomeado enviado extraordinário e ministro plenipotenciário à Prússia.

FONTE: CAMPOS, Adalberto de. Relações diplomáticas do Brasil. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1913.

 

DATA: 25/07/1824

ASSUNTO: Colonização

EVENTOS: Fundação da cidade de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, por imigrantes alemães. Marco inicial da colonização germânica no Brasil.

FONTE: GARCIA, Eugênio Vargas. Cronologia das Relações Interncionais do Brasil. Rio de Janeiro/ Brasília: Contraponto/FUNAG, 2005.

 

DATA: 09/1825

ASSUNTO: Expedição

EVENTOS: Na mesma época que o naturalista russo Barão de Langsdorff inicia sua expedição pelo Brasil, o pintor Johann Moritz Rugendas faz aquarelas e desenhos sobre o país.

FONTE: GARCIA, Eugênio Vargas. Cronologia das Relações Interncionais do Brasil. Rio de Janeiro/ Brasília: Contraponto/FUNAG, 2005.

 

DATA: 14/02/1826

ASSUNTO: Reconhecimento

EVENTOS: As Cidades Livres e Hanseáticas de Hamburgo, Bremen e Lubeck reconhecem a independência do Brasil no dia 14 de fevereiro de 1826.

FONTE: CAMPOS, Adalberto de. Relações diplomáticas do Brasil. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1913.

 

DATA: 06/03/1826

ASSUNTO: Reconhecimento

EVENTOS: A Prússia reconhece a independência do Brasil.

EVENTOS: A independência do Brasil foi reconhecida pela Prússia, em nota de 6 de março, do seu Ministro em Londres, Conde de Maltzhan, ao do Brasil, Visconde de Itabayana.

FONTE: GARCIA, Eugênio Vargas. Cronologia das Relações Interncionais do Brasil. Rio de Janeiro/ Brasília: Contraponto/FUNAG, 2005.

FONTE: CAMPOS, Adalberto de. Relações diplomáticas do Brasil. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1913.

 

DATA: 07/03/1826

ASSUNTO: Reconhecimento

EVENTOS: A independência do Brasil foi reconhecida pela Baviera, em nota do Barão August von Cetto, Ministro desse Reino em Londres, dirigida ao do Brasil na mesma Corte, Barão, depois Visconde de Itabayana.

FONTE: CAMPOS, Adalberto de. Relações diplomáticas do Brasil. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1913.

 

DATA: 18/02/1826

ASSUNTO: Reconhecimento

EVENTOS: A independência do Brasil foi reconhecida pelo Rei de Hanover (Jorge IV da Grã-Bretanha e Irlanda) em nota de 18 de fevereiro de 1826 do Conde de Munster, seu Ministro em Londres, dirigida ao do Brasil Visconde de Itabayana.

FONTE: CAMPOS, Adalberto de. Relações diplomáticas do Brasil. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1913.

 

DATA: 27/03/1826

ASSUNTO: Reconhecimento

EVENTOS: A independência do Brasil foi reconhecida pelo Grão-Ducado de Baden em nota de 27 de março de 1826, do Barão de Ferrette (Pfirdt), seu Ministro em Paris, dirigida ao do Brasil em Londres, Barão, depois Visconde de Itabayana.

FONTE: CAMPOS, Adalberto de. Relações diplomáticas do Brasil. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1913.

 

DATA: 01/04/1826

ASSUNTO: Reconhecimento

EVENTOS: O Grão-Ducado de Hesse Darmstadt reconheceu a independência do Brasil por nota de 1º de abril de 1826 do seu ministro em Paris, Barão Poppenheim ao Ministro brasileiro em Londres, Barão, depois Visconde de Itabayana.

FONTE: CAMPOS, Adalberto de. Relações diplomáticas do Brasil. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1913.

 

DATA: 20/05/1826

ASSUNTO: Reconhecimento

EVENTOS: A Cidade Livre de Frankfurt, pelo seu 1º Burgomestre e em nome do Senado, reconheceu a independência do Brasil em nota de 20 de maio de 1826, dirigida ao Ministro do Brasil em Londres.

FONTE: CAMPOS, Adalberto de. Relações diplomáticas do Brasil. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1913.

 

DATA: Ano (1827)

ASSUNTO: Reconhecimento

EVENTOS: A independência do Brasil foi reconhecida pelo Reino da Saxônia em 1827.

FONTE: CAMPOS, Adalberto de. Relações diplomáticas do Brasil. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1913.

 

DATA: 16/08/1827

ASSUNTO: Representante brasileiro

EVENTOS: Senador Marquês de Barbacena (Felisberto Caldeira Brant Pontes, Tenente-General, Conselheiro) é nomeado Embaixador Extraordinário ad hoc na Baviera.

FONTE: CAMPOS, Adalberto de. Relações diplomáticas do Brasil. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1913.

 

DATA: 17/11/1827

ASSUNTO: Tratado

EVENTOS: Assinaram, no Rio de Janeiro, os plenipotenciários brasileiros, Marquês de Queluz (João Severiano Maciel da Costa) e Conde de Lages (General João Vieira de Carvalho), o Tratado de Comércio e Navegação entre o Brasil e os Senados das Cidades Livres e Hanseáticas, de 17 de novembro de 1827, ratificado pelo Brasil na mesma data, pelo Senado de Hamburgo em 21, pelo de Lubeck em 23 e pelo de Bremen em 29 de fevereiro de 1828. A duração do tratado foi de dez anos e o Brasil o denunciou em 25 de outubro de 1838, ficando sem efeito doze meses depois.

FONTE: GARCIA, Eugênio Vargas. Cronologia das Relações Interncionais do Brasil. Rio de Janeiro/ Brasília: Contraponto/FUNAG, 2005. 

 

DATA: 30/05/1829

ASSUNTO: Tratado

EVENTOS: O marquês de Barbacena começou desempenhado de Londres a sua missão; assinado em Canterbury, a 29 de maio de 1829, com o cavalheiro Nicolas Louis Planat de La Faye, representante de Sua Alteza Real a Duqueza de Leuchtemberg, o Tratado de Casamento do Imperador D. Pedro I com a Sereníssima Princesa Amelia Augusta Eugenia, Princesa de Leuchtemberg e d’Eichstaedt.

Em 20 de julho de 1829 partiu de Londres para Munique, onde a 2 de agosto se efetuou, por procuração, o casamento da Imperatriz; a 11 de agosto partiu de Munique para Londres, e a 30 desse mês partiu de Portsmouth acompanhando a Imperatriz e chegando ao Rio a 16 de outubro de 1829.

FONTE: CAMPOS, Adalberto de. Relações diplomáticas do Brasil. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1913.

 

DATA: Ano de 1850

ASSUNTO: Colonização

EVENTOS: Em Santa Catarina, colonos alemães fundam a cidade de Blumenau e, no ano seguinte, Joinville.

FONTE: GARCIA, Eugênio Vargas. Cronologia das Relações Interncionais do Brasil. Rio de Janeiro/ Brasília: Contraponto/FUNAG, 2005.

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página